fechar
Clube de Leitura 2_Header Desktop 1920x600

Programação digital

Ideias

Clube de Leitura

Programação digital

O Clube da Leitura, promovido pelo Centro Cultural Banco do Brasil no Rio de Janeiro, é um projeto de leitura coletiva para debate de ideias relacionadas as obras literárias.

Este projeto acontece nos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro de 2021. O Clube de Leitura tem o objetivo de promover a prática e incentivo à leitura, crítica das obras, diversidade na leitura de autores e acesso à informação.

O projeto de leitura coletiva terá um encontro por mês para debate de ideias relacionadas a clássicos da literatura em língua portuguesa. Todos os autores escolhidos e suas obras estão em domínio público e podem ser visualizados em pdf pelo site: http://www.dominiopublico.gov.br. O evento acontece das 18h às 20h, e será transmitido no Youtube do Banco do Brasil a partir do salão de leitura da Biblioteca do CCBB RJ.
 
 

Clube de Leitura CCBB – Eça de Queiroz

Em outubro é a vez do escritor José Maria Eça de Queiroz. O autor nasceu em 1845 e é considerado o melhor romancista do realismo português no século XIX. O Crime do Padre Amaro foi a primeira obra lançada e é o marco inicial do Realismo de Portugal.

Eça de Queiroz foi o único romancista português a conquistar fama internacional durante o século XIX, porém também recebeu muitas críticas do clero e, até mesmo, da própria pátria. Isso aconteceu porque o escritor fazia críticas sociais e análises psicológicas nas obras: O Primo Basílio, O Mandarim, A Relíquia e Os Maias.

O livro escolhido por votação no Twitter foi  “O Crime do Padre Amaro”. 

Confira abaixo a sinopses do livro.

 

O Crime de Padre Amaro (1875)

Grande marco do Realismo em Portugal, publicado originalmente em 1875, esta é a obra mais polêmica de Eça de Queirós. Em O crime do padre Amaro, o autor adota um ponto de vista desapaixonado para narrar a história da infeliz Amélia, seduzida pelo inescrupuloso Amaro, que entra para o convento graças à imposição de uma nobre beata. Sem vocação alguma, o padre aceita o seu destino passivamente, mostrando absoluto desinteresse pela profissão que abraça sem entusiasmo, e termina pecando contra a castidade, traindo os votos proferidos na sua ordenação. Amélia, educada em um ambiente fervorosamente católico, acostuma-se a viver em um meio hipócrita. Sua atração pelo padre, pura paixão carnal que a desorienta e destrói, nasce da falta de referências morais e do desconhecimento completo do que seja o amor. Em O crime do padre Amaro, os burgueses, os aristocratas, os políticos e os sacerdotes são os vários componentes de um sistema social decadente e perverso. Os seres humanos não são indivíduos propriamente, mas temperamentos dominados pelo instinto e pelo meio social, que lhes determinam o modo de agir. Ao ser publicada, em 1875, esta obra foi alvo de protestos por parte da Igreja Católica em Portugal. A crítica, por sua vez, recebeu o livro com entusiasmo. Com irreverência e sarcasmo, Eça de Queirós tenta resgatar os valores que uma sociedade em declínio havia perdido.

 

Clique para realizar inscrição.

Ou acesse o QR code.