Com o objetivo de formar novas plateias, democratizar o acesso e contribuir para a promoção, divulgação e incentivo da cultura na capital paulista, nascemos em 21 de abril de 2001.

A instalação e manutenção de nosso espaço em um prédio em pleno centro da capital paulista reflete também a preocupação com a revitalização da área, que abriga um inestimável patrimônio histórico e arquitetônico, fundamental para a preservação da memória da cidade.

Estamos localizados em uma via de pedestres, na esquina da Rua Álvares Penteado com a Rua da Quitanda, no coração histórico da cidade, precisamente na região turística conhecida por Triângulo SP – área geográfica entre o Pateo do Collegio, o Mosteiro de São Bento e o Largo São Francisco.

Recebemos eventos nas áreas de artes cênicas, cinema, exposições, ideias, música e arte-educação, oferecendo à população uma programação regular, com qualidade, diversidade, gratuita ou a preços acessíveis, dirigida a todos os segmentos da sociedade e com ações integradas a iniciativas de responsabilidade social.

Sobre o prédio:
O edifício, comprado em 1923 pelo Banco do Brasil, tornou-se em 1927 a primeira agência em imóvel próprio do Banco do Brasil na capital paulista. Nascido de uma reforma projetada pelo arquiteto Hippolyto Pujol Junior, abrigou uma agência bancária até dezembro de 1996.

A escolha da entrada na esquina foi a solução encontrada para melhor aproveitamento espacial do prédio, projetado com cinco pavimentos. O cofre ocupava todo o subsolo, e no seu interior havia um espaço com gavetas menores, usadas para guardar documentos, joias e pertences pessoais. A agência ocupava o térreo e o primeiro andar. Já os pisos superiores eram disponíveis para a locação de escritórios.

O estilo arquitetônico de origem francesa associado à ornamentação eclética é percebido na fachada do prédio e interiores. São cinco andares, mais o torreão, construídos com estrutura de concreto armado e alvenaria de tijolos.

Na fachada, sólidas pilastras separam os caixilhos idênticos e simétricos das janelas, e a ornamentação, rica em simbolismo, sugere o contexto histórico do período em que o edifício foi construído.

No interior, um requintado hall de entrada dá acesso ao átrio central, que conserva o piso de mosaico. Elegantes gradis de ferro, balcões de madeira trabalhada e um delicado vitral dão uma atmosfera aristocrática ao espaço verticalizado.

Após a inauguração de nosso Centro Cultural, em 2001, os seus 4.183 metros quadrados oferecem espaços para exposições, teatro, cinema, música, auditório para palestras, debates e oficinas educativas e cafeteria.

Catálogos