fechar
O Dia de Jerusa - Copia

Cinema

Léa Garcia – 90 anos

Imagem de Calendário

25/05/24 a 23/06/24

Serviço


  • Verifique a classificação indicativaVerifique a classificação indicativa

  • Local

    Cinema

  • Horário

    Quinta a domingo – confira os horários na programação

  • Ingresso

    Ingressos gratuitos

Adquirir ingressos Telefone

Covid 19

Fique atento às
recomendações.

Fique atento

Com o objetivo de celebrar a obra de uma das figuras mais icônicas do cinema nacional e a sua importância histórica mundial, o Centro Cultural Banco do Brasil São Paulo apresenta a mostra inédita "Léa Garcia - 90 anos", que acontece de 25 de maio a 23 de junho.

A retrospectiva apresenta 15 longas protagonizados por Léa Garcia, dentre os quais Orfeu Negro, de Marcel Camus, pelo qual a atriz foi indicada ao prêmio de melhor interpretação feminina no Festival de Cannes, e que abre a mostra no dia 25/05, sábado, às 17h. Baseado na peça de Vinícius de Moraes, o filme vencedor da Palma de Ouro em Cannes e ganhador do Oscar de melhor filme estrangeiro pela França, conta a trágica história romântica entre a jovem Eurídice e o motorista e músico Orfeu.

Com a curadoria de Leonardo Amaral e Ewerton Belico, a programação traz ainda os longas Ganga Zumba, de Cacá Diegues, Compasso de Espera, de Antunes Filho, O Forte , de Olney

São Paulo, Feminino Plural, de Vera de Figueiredo, M8 - Quando a morte socorre a vida, de Jeferson De, Ladrões de Cinema, de Fernando Coni Campos, A Deusa Negra, de Ola Balogun, A noiva da cidade, de Alex Viany, Cruz e Souza - poeta do desterro, de Sylvio Back,  Mulheres do Brasil, de Malu di Martino, Um dia com Jerusa, de Viviane Ferreira e O Pai da Rita, A Negação do Brasil e As Filhas do Vento, de Joel Zito Araújo.

Além das projeções, a Mostra também traz três sessões comentadas por pesquisadores, realizadores e realizadoras que trabalharam com Léa Garcia, e que irão explorar a importância de sua trajetória e seu pioneirismo como protagonista negra no cinema brasileiro.

Programação


    25 de maio (sábado)
    16h
    Orfeu Negro, Marcel Camus (1959, 100’), 14 anos

    26 de maio (domingo)
    14h
    Ganga Zumba, Cacá Diegues (1963, 100’), 14 anos
    16h O Dia de Jerusa, 12 anos 
    16h25 Feminino Plural, Vera de Figueiredo (1976, 72’), 12 anos

    30 de maio (quinta)
    17h
    A Negação do Brasil, Joel Zito Araújo  (2000, 92’), livre

    31 de maio (sexta)
    18h
    Billi Pig, José Eduardo Belmonte (2011, 98′), livre

    01 de junho (sábado)
    15h
    As Filhas do Vento, 14 anos/ Bate-papo com o realizador Joel Zito Araújo logo após a exibição do filme, 14 anos
    17h30 O Pai da Rita, Joel Zito Araújo (2022, 97’), 12 anos

    02 de junho (domingo)
    14h
    Ladrões de Cinema, Fernando Coni Campos (1977, 127’), 12 anos
    16h30 M8 – Quando a morte socorre a vida, Jeferson De (2020, 84’), 16 anos

    06 de junho (quinta)
    17h
    Cruz e Souza – O Poeta do Desterro, Sylvio Back (1988, 86’), livre

    07 de junho (sexta)
    17h
    A Deusa Negra, Ola Balogun (1978, 96’), 12 anos

    08 de junho (sábado)
    15h Compasso de Espera, Antunes Filho (1973, 94’) / Bate-Papo com Mariana Queen Nwabasili após a exibição do filme, 12 anos
    18h Mulheres do Brasil, Malu di Martino (2006, 106’), 12 anos

    09 de junho (domingo)
    14h
    Ganga Zumba, Cacá Diegues (1963, 100’), 14 anos
    16h15 O Pai da Rita, Joel Zito Araújo (2022, 97’), 12 anos

    13 de junho (quinta)
    16h
    As Filhas do Vento, Joel Zito Araújo (2005, 85’), 14 anos

    14 de junho (sexta)
    18h
    Mulheres do Brasil, Malu di Martino (2006, 106’), 12 anos

    15 de junho (sábado)
    15h
    O Forte, Olney São Paulo (1974, 90’), 12 anos
    17h Cruz e Souza – Poeta do Desterro, Sylvio Back (1988, 86’), livre

    16 de junho (domingo)
    14h
    A Noiva da Cidade, Alex Viany (1978, 130’), 12 anos
    16h30 M8 – Quando a Morte Socorre a Vida, Jeferson De (2020, 84’), 14 anos

    20 de junho (quinta)
    17h
    Feminino Plural, Vera de Figueiredo (1976, 72’), 12 anos

    21 de junho (sexta)
    16h
    Ladrões de Cinema, Fernando Coni Campos (1977, 127’) / Bate-Papo com Juliano Gomes após a exibição do filme, 12 anos

    22 de junho (sábado)
    14h
    O Forte, Olney São Paulo (1974, 90’), 12 anos
    16h Compasso de Espera, Antunes Filho (1973, 94’), 12 anos

    23 de junho (domingo)
    14h
    A Noiva da Cidade, Alex Viany (1978, 130’), 12 anos
    16h30 A negação do Brasil, Joel Zito Araújo (2000, 92’), livre

    Atividades complementares


      Imagem -

      25/05 (sábado) - 15h30 Apresentação da programação da mostra pelo curador Leonardo Amaral, seguida da exibição do filme "Orfeu Negro", 14 anos

      01/06 (sábado) - 16h30 Bate papo com o realizador Joel Zito Araújo logo após a exibição do filme "As Filhas do Vento", 14 anos

      08/06 (sábado)- 16h40 Bate papo com a pesquisadora Mariana Queen Nwabasili após a exibição do filme "Compasso de Espera", 12 anos

      21/06 (sexta) - 18h15 Bate papo com o professor e cineasta Juliano Gomes após a exibição do filme "Ladrões de Cinema", 12 anos

       

      Sinopses


        Orfeu Negro
        Dir.: Marcel Camus | 1959 | 100 minutos | p&b | Brasil, França, Itália | Personagem: Serafina
        A trágica história romântica entre a jovem Eurídice e o motorista e músico Orfeu. Os dois se conhecem durante o carnaval no Rio de Janeiro e se apaixonam, mas Orfeu tem uma noiva ciumenta. De acordo com a antiga lenda, o amor do casal é acompanhado de perto pela morte, e ele será capaz de descer aos infernos para salvar a sua grande paixão.

        Ganga Zumba
        Dir.: Carlos Diegues | 1963 | 100 minutos | p&b | Brasil | Personagem: Cipriana
        No início do século XVI, alguns escravizados fugiram dos senhores portugueses e fundaram aldeias negras, como o Quilombo dos Palmares, o mais famoso. Ganga Zumba, neto do Rei dos Palmares, Zumbi, nasceu na senzala e, aos poucos, estabelece contato com a história das lutas e dos problemas de seu povo, ao fugir do cativeiro e tornar-se líder do Quilombo dos Palmares.

        Compasso de Espera
        Dir.: Antunes Filho | 1969-1973 | 94 minutos | p&b | Brasil, França | Personagem: Zefa
        Jorge, um poeta negro, é amante de uma empresária branca e rica. Em uma reunião de um círculo de intelectuais paulistanos, ele conhece Cristina, outra moça branca de família abastada, e se apaixona. O relacionamento enfrenta preconceitos de todos os lados e Jorge se vê brigando com as duas famílias e toda a sociedade, enquanto a ex-amante ainda o procura.

        O Forte
        Dir.: Olney São Paulo | 1974 | 90 minutos | p&b | Brasil | Personagem: Damiana
        O engenheiro Jairo retorna a sua cidade – Salvador – para demolir o forte de São Marcelo, com mais de 400 anos de idade. No local será erguido um parque infantil. Para Marcelo, essa destruição representa a aniquilação de todo o seu passado, pois foi naquele forte que ele um dia amou Tibiti, a namorada de juventude, e ouviu as histórias do velho Olegário, avô de Tibiti, que lá esteve preso por ter assassinado seu genro Michel. Ao chegar a Salvador, Jairo procura Tibiti, encontrando-a casada.

        Feminino Plural
        Dir.: Vera de Figueiredo | 1976 | 72 minutos | cor | Brasil | Personagem: Motociclista
        Sete mulheres em motocicletas, pela Via Dutra, dirigem-se à Baixada Fluminense, microcosmo do Brasil. Mergulhando na memória e questionando o comportamento imposto às mulheres, elas procuram resgatar a força do feminino. A nova mulher, nascida na terra brasileira, incorpora as amazonas e a Santa Guerreira.

        Ladrões de Cinema
        Dir.: Fernando Coni Campos | 1977 | 127 minutos | cor | Brasil | Personagem: Carlota
        Depois de assaltar uma equipe de filmagem de Hollywood, um grupo de moradores de comunidade do Rio de Janeiro resolve produzir um filme que expressa a realidade do Brasil usando como tema a Inconfidência Mineira.

        A Deusa Negra
        Dir.: Olá Balogun | 1978 | 96 minutos | cor | Brasil | Personagem: Sacerdotisa
        Para entrar em contato com parentes, o africano Babatunde chega ao Brasil e vai ao candomblé de uma famosa mãe-de-santo pedir orientação para o cumprimento de sua missão. No terreiro ele conhece Elisa, que durante a cerimônia religiosa incorpora a divindade africana cuja estatueta Babatunde carrega como senha para encontrar seus familiares brasileiros. Durante o transe, Elisa indica a Babatunde a Vila Esmeraldo, na Bahia, como local possível do encontro. Babatunde convida Elisa a acompanhá-lo na viagem e depois de muitos contratempos, os dois chegam ao destino. Não encontrando o que procurava, Babatunde oferece a uma velha Ialorixá a estatueta. Mas a viagem não foi em vão. Aos poucos, Babatunde percebe em Elisa os laços familiares que tanto buscava. No alvorecer do dia seguinte, Babatunde e Elisa começam a viagem de volta ao Rio de Janeiro e à África.

        A Noiva da Cidade
        Dir.: Alex Viany | 1978 | 110 minutos | cor | Brasil | Personagem: Manuela
        Uma famosa atriz de cinema volta à Catavento, sua cidade natal, para reencontrar antigos hábitos interioranos. Os políticos locais, porém, procuram capitalizar sua influência para as causas que defendem. Sem sossego, a atriz se refugia no sítio de um compositor popular que, como ela, busca tranquilidade. O rapaz acaba preso, acusado de tê-la sequestrado, mas as mulheres da cidade acreditam em sua inocência. Resolvida a situação, a atriz parte sem avisar ninguém.

        Cruz e Souza – O Poeta do Desterro
        Dir.: Sylvio Back | 1998 | 86 minutos | cor | Brasil | Personagem: Carolina
        O filme reconstrói a vida do poeta João da Cruz e Sousa, introdutor do Simbolismo no Brasil e considerado o maior poeta negro da língua portuguesa. Retrata suas paixões, o emparedamento social, racial e intelectual, culminando com seu fim trágico.

        A Negação do Brasil
        Dir.: Joel Zito Araújo | 2000 | 92 minutos | cor | Brasil | Personagem: Ela mesma
        O documentário busca mostrar as influências das telenovelas na construção da identidade étnica dos afro-brasileiros, além de discutir a incorporação positiva do negro na teledramaturgia.

        As Filhas do Vento
        Dir.: Joel Zito Araújo | 2005 | 85 minutos | cor | Brasil | Personagem: Ju
        Cida e Ju são irmãs e foram criadas pelo severo pai, Zé das Bicicletas. Cida foge de casa para ser atriz e Ju fica na cidade, casa-se e cuida do pai. As duas se reencontram 45 anos depois, no enterro dele, mas o tempo não diminui o rancor do passado.

        Mulheres do Brasil
        Dir.: Malu di Martino | 2006 | 106 minutos | cor | Brasil | Personagem: Eunice
        Em uma união de várias histórias, o filme narra a história de cinco mulheres, que vivem em diferentes cidades do Brasil, cujas semelhanças não são meras coincidências.

        Billi Pig
        Dir.: José Eduardo Belmonte | 2011 | 98 minutos | cor | Brasil | Personagem: Ludmilla
        A aspirante a atriz Marinalva começa a ter sonhos e a conversar com seu porco de brinquedo, Billi, que a encoraja a se separar do marido, Wanderley, por acreditar que ele não a ajuda a lutar por seu sonho.

        O Dia de Jerusa
        Dir.: Viviane Ferreira | 2014 | 20 minutos | cor | Brasil | Personagem: Jerusa
        A história narra o encontro de uma jovem e uma senhora residente do bairro do Bixiga, no centro de São Paulo. Silvia trabalha com pesquisa de público para uma marca de sabão em pó. Ao bater na porta de Jerusa, é surpreendida com respostas nada convencionais, e o diálogo a leva a compreender a vida de outra maneira, menos rápida e menos quantitativa.

        M8 – Quando a Morte Socorre a Vida
        Dir.: Jefferson De | 2020 | 84 minutos | cor | Brasil | Personagem: Dona Ângela
        Maurício começa a estudar na renomada Universidade Federal de Medicina. Em sua primeira aula de anatomia, ele conhece M8, o cadáver que servirá de estudo para ele e os amigos. Durante o semestre, o mistério da identidade do corpo só pode ser desvendado depois que ele enfrentar suas próprias angústias.

        O Pai da Rita
        Dir.: Joel Zito Araújo | 2022 | 97 minutos | cor | Brasil | Personagem: Tia Neguita
        Roque e Pudim, compositores da velha guarda da Vai-Vai, partilham um pequeno apartamento, décadas de amizade, o amor por sua escola de samba e uma dúvida sobre o que aconteceu com a passista Rita, paixão de ambos. No entanto, o surgimento de Ritinha, filha da grande paixão perdida, ameaça desmoronar a amizade deles.

        Veja também: