fechar

Teatro

Cora do Rio Vermelho

Imagem de Calendário

24/05/24 a 26/05/24

Serviço


  • Classificação 10 anosClassificação 10 anos

  • Local

    Teatro

  • Horário

    Sexta-feira – 20h | sábado – 18h e 20h | Domingo – 16h e 18h

  • Ingresso

    R$30 (inteira) e R$15 (meia-entrada)

    Os ingressos serão liberados dia 17 de maio às 12h

Adquirir ingressos Telefone

Covid 19

Fique atento às
recomendações.

Fique atento

Ministério da Cultura, Banco do Brasil e Petrobras apresentam Cora do Rio Vermelho, com direção de Isaac Bernat e Raquel Penner no elenco.
 
O espetáculo teatral leva para o palco a obra e a vida da poetisa, contista e doceira goiana, Cora Coralina, reunindo diversos poemas dos livros “Vintém de Cobre – meias confissões de Aninha”, “Meu Livro de Cordel”, “Villa Boa de Goyaz” e “Poemas dos becos de Goiás e estórias mais”.
 
Através da costura de textos, o solo coloca em cena trechos da vida da escritora, desde a infância, passando pela vida adulta no Estado de São Paulo, e retornando para a cidade de Goiás, em sua maturidade. Intercalando entre as linguagens dramática e poética, a atriz se torna uma contadora de histórias atravessada pelo amor e pela entrega que Cora dedicou a sua gente. O monólogo reúne textos e poemas que falam sobre a força feminina e a alma da mulher brasileira.
 

Idealização e Atuação: Raquel Penner; Direção: Isaac Bernat; Dramaturgia Leonardo Simões; Produção Executiva: Clarissa Menezes; Cenografia, Figurino e Produção de Objetos: Dani Vidal e Ney Madeira – Ney Madeira Produções Artísticas; Iluminação: Ana Luzia de Simoni; Direção Musical e Trilha Sonora: Aline Peixoto.

Patrocínio: Petrobras

Oficina “Frutos da Terra” com Isaac Bernat23 e 24 de maio, às 14h

Oficina gratuita ministrada pelo diretor Isaac Bernat.
Os griots têm uma função indispensável na África Ocidental, pois são a memória do continente africano. Griot é o mestre da palavra. Um contador de histórias. É quem passa adiante os conhecimentos fundamentais de uma vida. O encontro estimulará a olhar nossas vivências e riquezas culturais e transformá-las em histórias. Será uma conscientização indentitária através de nossas memórias, num processo semelhante ao percurso criativo da obra de Cora Coralina.   
Isaac Bernat, diretor artístico do espetáculo, é também o responsável pela oficina, por conta de sua experiência, convívio e conhecimento sobre os griots africanos. Sua tese de doutorado se transformou no livro “Encontros com o griot Sotigui Kouyaté”, que relata os 10 anos de encontros e trocas com o mestre Sotigui Kouyaté.

Público alvo: Atores, contadores de histórias, diretores, professores, educadores, músicos e artistas em geral.
Classificação indicativa: 14 anos
Dias:  23 e 24 de maio 
Horário: 14h às 18h –

Veja também


Teatro


Os Bruzundangas

Calendário 30/05/24 a 23/06/24

Ir