fechar
005.2007_Dancing - Foto Manuel Águas & Pepe Schettino_CMYK 2

Exposição

Brasilidade Pós-Modernismo

Imagem de Calendário

05/4/22 a 05/6/22

Serviço


  • Classificação LivreClassificação Livre

  • Local

    CCBB Brasília
    SCES, Trecho 2 – Brasília/DF
    Galerias 1, 2 e Pavilhão de Vidro

  • Horário

    Terça a domingo, de 9h às 20h

  • Ingresso

    Entrada gratuita. Retire seu ingresso na bilheteria ou no site da Eventim.

Adquirir ingressos Telefone

Covid 19

Fique atento às
recomendações.

Fique atento

A exposição Brasilidade Pós-Modernismo chega ao CCBB Brasília de 5 de abril a 5 de junho de 2022, com o objetivo de celebrar o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922 e lançar luz aos traços, remanescências e conquistas que o movimento trouxe, no decorrer dos últimos 100 anos, às artes plásticas do Brasil e refletir, a partir da atualidade, sobre um processo de rever e reparar este contexto.

Com curadoria de Tereza de Arruda, a mostra chama atenção para as diversas características da arte contemporânea brasileira, cuja existência se deve, em parte, ao legado da ousadia artística cultural proposta pelo Modernismo. Nuances que o público poderá conferir nas obras dos 51 artistas de diversas gerações que compõem a exposição, dentre os quais Adriana Varejão, Anna Bella Geiger, Arnaldo Antunes, Cildo Meireles, Daniel Lie, Ernesto Neto, Ge Viana, Jaider Esbell, Rosana Paulino e Tunga

Organizada em seis núcleos temáticos: Liberdade; Futuro; Identidade; Natureza; Estética; e Poesia, a mostra apresenta pinturas, fotografias, desenhos, esculturas, instalações e novas mídias. Segundo Tereza de Arruda, por meio deste conjunto plural de obras, “a Brasilidade se mostra diversificada e miscigenada, regional e cosmopolita, popular e erudita, folclórica e urbana".

Esta exposição não é idealizada com o olhar histórico, mas sim focada na atualidade com obras produzidas a partir de meados da década de 1960 até o dia de hoje, sendo algumas inéditas, ou seja, já com um distanciamento histórico dos primórdios da modernidade brasileira”, explica Tereza de Arruda. “Não é uma mostra elaborada como um ponto final, mas sim como um ponto de partida, assim como foi a Semana de Arte Moderna de 1922, para uma discussão inovadora a atender a demanda de nosso tempo, conscientes do percurso futuro, guiados por protagonistas criadores”.

Entrevistas com artistas


    Berna Reale

    Beatriz Milhazes

    Gê Viana

    Jaider Esbell

    Jorge Bodansky

    Francisco de Almeida

    Rejani Cantoni 

    Luzia Simons

    Pílulas CCBB Educativo


      Semana de 1922

      Arte Brasileira

      Identidade

      Arte Contemporânea

      Veja também


      Exposição


      220506_Magic_Square_Joana_França_667

      Exposição